Skip to content

As mídias sociais e o ensino do Jornalismo

07/09/2010

Ensinar jornalismo em tempos de tecnologias digitais não tem sido fácil. Nem bem os professores se ambientam com alguma novidade tecnológica que altera a rotina profissional dos jornalistas, logo um novo tipo de fenômeno surge e o processo de assimilação – aprendizagem recomeça.  Assim acontece agora com as mídias sociais. Como fenômeno, convenhamos,  já não é nem tão recente, do ponto de vista da cronologia da internet, claro! Mas certamente as suas apropriações ainda estão em fase de expansão e descobertas.

Este é o caso do jornalismo. Como se apropriar das mídias sociais para a profissão? De acordo com  o professor da Escola de Jornalismo da Universidade British Columbia, em Vancouver, Canada,  Alfred Hermida, a mídia social é um fenômeno novo que permite a muitas pessoas se auto declararem especialistas no assunto. “Uma busca no Twitter gera todo tipo de pessoas que afirmam ser gurus da mídia social”, afirma.  Mas para o professor não é tão fácil quanto parece. Segundo ele pesquisadores de jornalismo têm trabalhado muito sobre o tema para garantir que estudantes de graduação saibam utilizar as mídias sociais nas suas carreira de forma proficiente, e até mesmo como especialistas.

“Os estudantes utilizam as mídia sociais em suas vidas diárias, com algum tipo de dispositivo como o Facebook quase permanente na tela do computador. No entanto, eles tendem a não pensar nessas mídias como parte de seu conjunto de ferramentas profissionais como jornalistas”, explica Hermida. Se os estudantes  vêm as mídias sociais como atividade pessoal e não profissional, a pressão para usá-las como parte do trabalho do jornalista recai sobre os professores.

O primeiro passo para entender o processo é definir com clareza as mídias sociais. São meios de comunicação social baseados na Internet cuja ideológia se fundamenta nas tecnologias da Web 2.0, ou seja, permitem a criação e troca de conteúdos gerados pelo usuário. As palavras chaves para essas tecnologias são: criação de conteúdos, participação, interatividade. Em comparação as mídias de massa, diria que essas últimas permite apenas o consumo de conteúdos.

“O problema para muitas escolas de jornalismo é incorporar a mídia social em um currículo estabelecido e embalado dentro do ambiente acadêmico onde o ritmo de mudança é lenta”, lamenta Hernandez. A seguir algumas propostas para o ensino das mídias sociais no uso do jornalismo.

Propostas de ensino.

  • Mostrar aos estudantes a importancia de se avaliar o fluxo de informações na mídia social. Serviços como o Twitter, que despontou como fonte de notícias, precisam ser críticados, medidos e  verificada a validade da informação.
  • A mídia social pode ajudar os jornalistas a se aproximarem do público, buscando idéias para histórias e novas perspectivas sobre as histórias que eles estão trabalhando.
  • Um dos grandes desafios é ensinar as normas e práticas diferentes em diferentes serviços de mídias sociais. Os alunos são encorajados a serem ativos nas mídias, mostrando que eles devem contribuir para a “conversa” ao invés de apenas se apropriar dela.
  • As mídias sociais podem confundir entre entre o pessoal e o profissional, por isso é importantes saber construir e gerenciar a identidade online.
  • Um importante aprendizado é ensinar os estudantes a gerir a sua reputação e a estabelecer a sua credibilidade. Além disso informar sobre os pontos fortes e fracos da colaboração online. Por exemplo, ao invés de fazer longos discursos sobre a importancia da credibilidade de uma rede social como o Wikipédia, criar juntos com os alunos sua própria wiki sobre algum tema fazendo com que os alunos participem e valorizem a importancia da credibilidade dos conteúdos produzidos em equipe.
  • Praticar mídia social não é suficiente em um ambiente acadêmico. Tem que ser um lugar para reflexão dos alunos sobre o que aprenderam, explicitando o seu conhecimento sobre as mídias sociais. Os estudantes devem ter objetivos definidos a utilização das mídias e demonstrar que podem avaliar as plataformas e serviços mais adequados.
  • Ensino de mídia social é mais do que mostrar aos estudantes a mecânica do Twitter. Os alunos devem aprender a construir uma rede de seguidores relevantes e como interagir com eles para ser um profissional melhor.
  • Na sala de aula, o  professor precisa enfatizar que as tecnologias de mídias sociais não oferecem aos jornalistas apenas novas maneiras de fazer coisas velhas. Eles oferecem a possibilidade de explorar novas formas de contar histórias, de colaborar e se conectar com o público, de repensar a forma como se faz jornalismo.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: