Skip to content

Ensinando Jornalismo Online: como construir o primeiro curso (parte II)

24/09/2010

Em 2004 a professora de jornalismo e pesquisadora da Universidade da Flórida Mindy McAdams publicou um artigo sobre a difícil decisão dos educadores sobre como elaborar o currículo dos cursos de jornalismo que inclua o jornalismo digital. Seis anos depois retomo seu artigo para rever suas informações e verificar se, passada meia década, algo mudou no ensino do  jornalismo digital. Esta é a segunda parte e contém dicas muito boas pare quem trabalha com jornalismo digital.

O que constatei no artigo de McAdams é sua atualidade. Obviamente muitas coisas mudaram e acredito que para melhor, mas a base de seus dados e das metodologias para o ensino do jornalismo ainda se encontram atualíssimas.

(artigo completo)

A primeira dica é: defina jornalismo online.

Segundo McAdams os alunos muitas vezes não têm idéia clara sobre o jornalismo online como uma forma que difere do jornalismo impresso ou de radiodifusão. Acredito que este fato já esteja superado, não? È, talvez não completamente, mas é um ponto que evoluiu bastante e é muito provável que um jovem ao ingressar numa faculdade de jornalismo tenha alguma idéia do que seja jornalismo digital. Bem, na incerteza é recomendável que o professor mostre aos alunos que existe algo chamado jornalismo online que pode ser distinguida de outras formas de jornalismo.

Depois de  estabelecido o que é jornalismo online, deve-se concentrar em alguns dos elementos que o distinguem claramente das outras formas de jornalismo.  Mindy recomenda três áreas de serem enfatizadas para os alunos:

• Ética do link, ou seja, mostrar que escolher bem os links é uma boa decisão editorial.

• Os tipos de mídia que serão utilizadas na matéria online (por exemplo: áudio, vídeo, fotos, infográficos, mapas, animações, texto, etc). Quais recursos serão melhor aproveitados para contar uma dada  história?

• Como se dará a interatividade: fóruns de discussão, newsgroups, chat, e-mail, listas de discussão.

É importante também incluir no programa de aula sobre:

Copyright: Onde é que o site de notícias online pega seus gráficos, fotos, áudio e vídeo?Alguém pode usar uma foto AP? Você pode copiar uma música de um CD de música e usá-lo como uma trilha sonora para sua apresentação de slides de fotos, por exemplo? Muitos alunos acreditam equivocadamente que é legal a utilização de trabalho protegido por direitos autorais se os citarem nos créditos autorais. Isso acontece em função da facilidade de copiar material a partir de qualquer página da Web e utilizá-lo em suas próprias páginas. Neste caso deve-se observar as regras de autoria do Brasil…

Verificação da informação: os editores online muitas vezes reforçam uma notícia acrescentando links relevantes para recursos online. Como você sabe quando uma fonte é confiável? Os estudantes precisam aprender vários métodos para verificar a precisão das informações que utilizam através de links, bem como formas eficientes de busca de informações de fundo e verificar novamente os fatos e números. Ao fornecer um link para informações fora do seu site, é recomendável usar o título da fonte como recurso do texto vinculado, bem como identificar a origem das informações vinculadas.

Tipos de trabalhos de jornalismo on-line: alunos sem talento artístico ou baixo nível de confiança em suas habilidades de software podem odiar os ‘pacotes multimídia’ por achar que nunca vão conseguir desenvolver tantas habilidades. Porém esclarecer que os pacotes mais complexos são produzidos não por uma pessoa, mas por uma equipe com escritor, editor, designer, fotógrafo e outros. As chances são muito grandes, afirma Mindy, que os estudantes de jornalismo de hoje colaborem em um projeto online em algum momento de suas carreiras, mesmo que venham a trabalhar coma as mídias tradicionais.

Atividades comuns que podem ser atribuídas aos alunos:

• ‘Caça ao tesouro’ (procurar certos tipos de conteúdos ou funcionalidades em sites de notícias on-line).
• Análise de sites da Web (quem construiu? Ele é confiável? Como se pode saber?)
• Reforçar a história com links relevantes.
• Criar  recursos de links para páginas de determinados assuntos.
• Participar de listas de discussão.
• Entrevistar um editor online, produtor ou criador sobre o seu trabalho.

Se um dos objetivos do curso for criar uma publicação on-line.

Se a intenção do curso é produzir uma publicação on-line como produto laboratório, muito tempo será gasto na produção, pesquisa, redação, edição.  È muito comum que a concepção e produção do site seja de responsabilidade de um aluno, ou mais, que já tenha alguma experiência em webdesign.  O objectivo é reduzir os aspectos técnicos da produção local para a menor parte do curso, permitindo aos alunos se concentrarem na produção, redação, edição e vinculação.

A desvantagem dessa metodologia é que os alunos podem aprender muito do jornalismo, mas do que é específico para o online, ou seja, a multitarefa e a habilidade tecnológica ficam uma pouco a desejar.

Uma vez concentrados em relatar uma história, eles podem cair em padrões que já tenham praticado nas diciplians anteriores. De fato é um grande desafio fazer com que alunos sem experiência prévia em fotografia, áudio, vídeo ou animação  produzam bom trabalho online em um único semestre.

McAdams recomenda que o curso possa oferecer oficinas para os estudantes aprenderem a usar programas de editor de imagem e de gerenciamento de conteúdo em html ministrado por profissional de apóio tecnico, por exemplo. (Nos cursos de jornalismo do Brasil a prática mais comum é o uso de plataformas blog, pois esse tipo de profissional técnico nos cursos de jornalismo é quase inexistente).

Outra abordagem para a produção de uma publicação online é colocar os alunos em equipes que envolvam várias  habilidades diferentes e então incentivar os membros da equipe através de brainstorm a  descobrir a melhor maneira de contar cada história.

O exemplo dado foi de Thom Lieb, que leciona na Towson University. Ele conta que pediu aos alunos para irem em busca da história de um tatuador, no bairro de Mount Vernon de Baltimore, Maryland. O objetivo era produzir um site com histórias das pessoas dos bairros locais. Assim os alunos de cada uma das quatro fases de estudo das mídias  foram enviados como uma equipe:

• Telejornalismo e rádiojornalismo (broadcast)
• Filme Documentário e Vídeo
• Fotojornalismo
• Jornalismo Online

Um estudante de ‘broadcast’  foi encarrecado de relatar sobre o tatuador através de mídia de audio, e assim ele cumpriu sua tarefa – e nada mais, conta Mindy. Lieb escreveu em um e-mail: “Nunca lhe passou pela cabeça que a história de sua fonte poderia se beneficiar a partir de elementos visuais também, mesmo que os estudantes de mídia visual tenham ido. O projeto foi analisado antes e de fato o aluno responsável pelas imagens cobriu a mesma história. Porém o que ficou evidente é que mesmo tendo a oportunidade de contar sua história de outra maneira, além da sua tecnologia, podendo acrescentar ao final, na edição fatos que poderiam ter mais de uma perspectiva.

Tópicos em Jornalismo Online

Além dos fundamentos acima referidos (links, os tipos de mídia, interatividade, direito autoral, verificação das informações, e os tipos de trabalho de jornalismo online), vários outros temas são dignos de discussão se você tem o tempo para adaptá-los. Aí vão algumas sugestões:

• Convergência:
1. A propriedade das empresas, parcerias, compartilhamento de conteúdo;
2. Sobreposição de funções de trabalho, vários conjuntos de habilidades, trabalhando como parte de uma equipe;
3. Entretenimento como jornalismo e jornalismo como entretenimento.

• Escrever para a Web: estilo, o uso do título, considerações especiais para escrever para o público da internet, o uso dos links, etc. (ver manuais)

• Weblogs: ver tanto como uma plataforma e como fontes.

• Como a internet têm transformado o jornalismo como é praticado em outras mídias?

• A internet tem mudado o jornalismo como é praticado em vários países ao redor do mundo? Por exemplo, o acesso a fontes de notícias de fora das fronteiras nacionais tem afetado a cobertura no seu próprio país?

• questões legais, incluindo as políticas  de privacidade e termos de uso dos sites.

• Os modelos de negócios, incluindo a ética da publicidade online e o uso do conteúdo patrocinado.

• Utilização de infográficos animados e mapas.

• Comparação de áudio e vídeo na Web e os seus homólogos no rádio e na TV.

Para finalizar, Mindy destaca três tópicos avançados que podem exigir mais de uma classe para melhorar ainda mais o programa, se houver tempo e disponibilidade:

• Trabalhar com questões sobre comunidades online, tanto como fontes de informação e como plataforma de notícias.

• Pesquisar e estudar as organizações locais sem fins lucrativos na web, como fonte e como concorrentes para o jornalismo.

• Aprender a utilizar banco de dados da internet, que podem ser combinada com uma breve introdução às técnicas de reportagem assistida por computador.( os manuais de jornalismo na internet ajudam muito nestes casos)

Dicas!!! (da Mindy)

Se você conceber seu curso como essencialmente de habilidades técnicas ou prioriza a produção laboratorial deve adicionar alguns conteúdos relacionados à produção de mídia on-line:

• CSS (padding, margens, posicionamento)
• Tela / layouts de página e design
• Navegação e estrutura do site
• Questões de Usabilidade
• Audio
• Mapas de imagem
• GIFs animados
• Alguns JavaScript (rollovers, janelas pop-up)
• Os formulários HTML

*Os alunos deverão ser capazes de criar um site com várias páginas que têm uma aparência consistente e um sistema de navegação claro. Tenha em mente que estes são importantes, tanto para o instrutor como para os alunos e só deve ser adotado se o curso é destinado a ser um curso de produção mais abrangente da Web, ou se os alunos já tiveram alguma experiência em produção de Web em uma versão anterior é claro.

*Para técnicas avançadas de produção, provavelmente é razoável tentar ensinar habilidades avançadas de produção on-line no primeiro curso.

• animação em Flash e interação
• edição de vídeo e compressão
• bases de dados da Web

Conclusão

Este artigo certamente não fornece um modelo simples para a construção de um curso sobre jornalismo online, porque todo projeto simplificado deixa de fora elementos que poderiam ser perfeito para o seu programa.

O professor deve considerar os recursos disponíveis para seu programa e determinar o que funcionará melhor para seus alunos. Sendo possível criar um curso para o treinamento de habilidades online, ou um curso que não inclua treinamento de habilidades online,  ainda assim se constata que a maioria dos cursos de jornalismo online contenha algum treinamento de habilidades técnicas e de produção, em combinação com palestras sobre a prática do jornalismo online hoje.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: