Skip to content

O modelo tradicional de notícias mudou para sempre?

19/01/2014

ImageSegundo relatório anual elaborado em 2013 pela Oriella Journalism Digital que trata sobre o papel e impacto da mídia digital em redações por todo o mundo, as notícias publicizadas em material impresso estão cada vez mais perto do fim. O estudo é baseado em uma pesquisa  com mais de 500 jornalistas, abrangendo 14 países (Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Nova  Zelândia, Rússia, Espanha, Suécia, Reino Unido e EUA), e encontra as mídias digitais bem posicionadas em todos os países, embora de maneiras muito diferentes.

A maioria dos entrevistados acredita que a maior parte de seu público já está online, e suas preferencias são avaliadas  com base em métricas digitais como visitantes únicos. Esta evolução reflete os investimentos que proprietários de mídias têm feito em suas plataformas digitais, e como o mundo se afasta da mídia impressa para o conteúdo digital, informa o relatório.

O resultado é que o trabalho jornalístico mudou dramaticamente. Agora as notícias não “saem” de uma só vez. Ou seja, o jornalista não espera reunir todas as informações da história para publicá-la, mas vai liberando as informações  conforme vão surgindo, de forma  fragmentada, característica própria da da internet. Além disso, segundo a pesquisa, quase a metade dos jornalistas dizem produzir seu material em casa. Um outro ponto de desataque vai para os dispositivos móveis, pois crescem em popularidade como uma plataforma para as notícias serem cobradas.

E assim, a mídia digital vai cimentado a sua função dentro o arsenal jornalístico . O uso de blogs e
microblogs como fontes  de informação para noticiários é amplamente utilizado, embora ainda exista a preocupação com a credibilidade dessas fontes, segundo os entrevistados. Uso pessoal das mídias sociais por jornalistas também está crescendo. Pela primeira vez , a proporção de jornalistas ativos no Twitter com perfil pessoal ultrapassou a marca de cinqüenta por cento , e um terço deles tem seus próprios blogs .

O curioso da pesquisa, porém, foi constatar  que  apesar de todas as novas tecnologias, os valores tradicionais permanecem . Como? As principais fontes para os jornalistas ainda são, segundo a tradição da mídias, os especialistas, técnicos,  analistas  e acadêmicos.

O relatório completo pode ser acessado via http://www.oriellaprnetwork.com/sites/default/files/research/Brands2Life_ODJS_v4.pdf

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: