O modelo de financiamento coletivo para o Jornalismo!

quanto-ganha-jornalista

O modelo de negócios do jornalismo baseado em publicidade pública e/ou privada está em “xeque”. Não só porque já é evidente para muitos que este modo tradicional de ser financiado atua em desacordo com a ética do jornalismo, mas também porque há uma mudança de paradigma quanto as ferramentas disponíveis para divulgação de notícias.

No entanto, há um entendimento geral de que jornalismo com credibilidade sem dinheiro não persevera.    Isto porque, jornalismo de qualidade requer pesquisa, dedicação e tempo do profissional para, no atual oceano de informação, emergir com uma apuração séria e propor histórias relevantes para o público. Bem, no século das fake news e robôs que invadem nosso campo de comunicação, muitas vezes sem desejarmos, tem surgido modelos de negócios para sustentar um jornalismo mais próximo de um dos seus fundamentos básicos: a função pública do direito das pessoas à informação.

O Público em destaque

Para falar dessas novas possibilidades de financiamento do jornalismo, a Rede de Jornalistas Internacionaiso (IJnet) promoveu um webinário com profissionais que trabalham na América Latina. Eles falaram sobre suas experiências e deram conselhos para outros jornalistas que planejam começar suas próprias startups de mídia.  A IJnet resumiu alguns dos relatos dessas experiências já em andamento, baseadas em financiamento coletivo de notícias e destaque para a participação do público na construção das histórias. Aprendizados interessantes foram relatados. Para saber as conclusões confira na reportagem original do IJnet no que chamou de “Estratégia para empreendedores na América Latina“.